24/03/16

Diário da Mini #7 Destralhar

Quando comecei a organizar a casa fiz o chamado "destralhamento". Aos poucos e poucos fui metendo coisas em sacos do lixo ou em sacos para doar e depois de mais ou menos um mês estava tudo organizado.
Pensava eu que estava!!!
Pouco tempo depois parecia que tudo tinha voltado ao mesmo. E não parecia, voltou mesmo e desmotivei! Quando chegou aos caos, voltei ao ataque e saíram mais uns quantos sacos, pensei que era desta que tudo estava como eu queria.
Mas não estava!!
Dei conta disso quando tive de me desfazer do escritório para montar o quarto do BabyG. Tirei de lá lixo que parecia que nunca mais acabava. Mesmo depois de eu já ter feito 2 destralhamentos e de achar que já não tinha nada que não precisa-se. O que é certo é que continuo com um escritório no quarto de hóspedes bem mais pequeno e bem mais organizado (se bem que neste momento está cheio de roupa para passar a ferro ahahahah) e agora sim, só com as coisas que realmente preciso.

Posto isto, cheguei à conclusão que se o escritório antigo tinha ficado mal destralhado todo o resto da casa o estava. Segui a mesma filosofia por isso era inevitável que estivesse e estava! Pôs-me a olhar para as gavetas e é mesmo verdade, deixei tanta coisa para trás que não preciso, não gosto e não serve para nada mesmo... A abordagem que fiz na altura pareceu-me bem mas a curto prazo mostrou-se ineficaz...

Voltei a pesquisar, voltei a ler muito sobre o assunto e neste momento estou extremamente motivada a fazer a mudança radical graças ao livro "Arrume a sua casa, Arrume a sua vida" de Marie Kondo. Ela tem uma perspectiva super diferente de tudo o que li até agora mas à medida que vou lendo e tendo em conta tudo o que já fiz, identifico-me bastante com o que diz.

Logo no inicio do livro ela diz uma coisa que é bem verdade. Fomos incentivados a arrumar o nosso quarto, por exemplo, mas não fomos ensinados a organizá-lo. Parece que o acto de organizar e arrumar é algo inato e não precisa que ninguém nos ensine mas concordo com ela, é preciso ensinar, é preciso aprender!

Concordo também quando ela diz que o método não se tem de adaptar à nossa personalidade mas nós é que temos de nos adaptar a ele. Eu adoptei métodos tendo em conta aquilo que eu queria, fazia ao meu ritmo, tudo adaptado a mim e puff nada disso resultou... Se eu preciso de ajuda porque não sei como começar ou como continuar/manter, como é que um plano onde sou eu que decido o que fazer pode resultar!? Se formos a ver, todo o nosso percurso de aprendizagem na escola não é adaptado a cada um, é um método de ensino para todos e nós é que temos de nos adaptar a ele e de arranjar a melhor maneira de o seguir e de conseguir tirar boas notas (se bem que aqui também ninguém nos ensina a estudar e também é muito importante para o sucesso mas isso é outro assunto e vai ao encontro no que disse no parágrafo anterior). Aqui é a mesma coisa e é isso que ela diz: o método funciona assim para toda a gente!

À medida que vou lendo só me apetece fechar o livro e começar a abrir gavetas e tirar tudo para o chão mas eu vou ser uma boa aluna e como lá diz, primeiro ler o livro todo e só depois meter mãos à obra. É um processo demoroso mas que vai valer a pena. 

Espero bem que sim!!!

Quando acabar de ler e começar a meter em prática irei comentar o livro, capítulo a capítulo. Que acham da ideia? Quem desse lado anda nestas mudanças?

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...